Nacional

Mais de dois mil internados em dia de novo máximo de casos de covid-19

Portugal registou 34 mortes e 56426 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, um novo máximo de infeções desde o início da pandemia.

A Direção-Geral da Saúde registou 34 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, período no qual foram reportados 56426 novos casos, um novo máximo que se segue ao recorde de 52549 anotado ontem. Um dia depois de ultrapassada a barreira dos dois milhões de positivos, Portugal soma 2059595 infeções, das quais resultaram 19447 mortes desde o início da pandemia.

Nos hospitais, há mais 45 internados, com o total a superar a barreira dos dois mil. Das 2004 pessoas acamadas, 152 são doentes considerados graves, menos uma do que no domingo.

Há mais de 10 meses que não havia tantos internados. Mas a realidade é diferente. No primeiro dia de março de 2021, havia 2167 doentes acamados, dos quais 464 em Unidades de Cuidados Intensivos (o triplo dos 152 de hoje em UCI). Estavam ativos 68370 casos ativos, seis vezes menos do que agora, em plena quarta vaga, que atingiria o pico nos 16432 casos diários e 303 mortes a 28 de janeiro. Dia negro, com 6565 doentes internados, 782 dos quais em UCI – número que chegou aos 904 a 5 de fevereiro.

Três mortes nas faixas etárias abaixo dos 50 anos

Das 33 mortes registadas esta quinta-feira, sétimo dia consecutivo com mais de 30 mortes associadas à covid-19, três tinham menos de 50 anos: um homem na casa dos 30-39, uma mulher entre os 40-49 e outra na faixa dos 40-49 anos. Morreu também um homem com mais de 50 anos e outra com mais de 60, escalão no qual faleceu também um homem.

As faixas mais afetadas são as mais velhas. Foram registadas quatro vítimas mortais, dois homens e duas mulheres, no escalão entre os 70-79 anos, e 24, sete masculinos e 17 femininos, entre os maiores de 80 anos.

Este nível de mortes, na casa dos 30, não se registava desde março de 2020, quando a quarta vaga começava a ficar no retrovisor dos portugueses. Por esses dias, como aqui se escreveu já, os totais de doentes internados eram muito superiores, (6565, 782 UCI) e o número de casos ativos bastante inferior – 68370.

Norte com 43% do total de infeções nas últimas 24 horas

A Região Norte reportou 24422 novos casos, 43% do total diário nacional. Num dia com mais 10 mortes, a região mais setentrional do país acumula 5903 óbitos e 764713 infeções associadas à SARS-CoV-2 desde o início da pandemia.

Lisboa tem um total de 798969 infeções reportadas e 8205 mortes, números que incluem os 17341 casos e 16 mortes registadas pela DGS nas últimas 24 horas.

A Região Centro reportou mais seis mortes e 8253 casos de covid-19, com o acumulado a subir para 276086 infeções e 3425 óbitos desde o início da pandemia.

Alentejo e Algarve não reportaram qualquer óbito. No extremo sul de Portugal foram contabilizados até ao momento 79265 infeções e 2003 mortes por covid-19 desde o início da pandemia; na zoa das grandes planícies, foram contados 1912 testes positivos nas últimas 24 horas, com os totais a subirem para 68238 infeções e 1104 mortes.

No Açores também não há vítimas mortais, mantendo-se as 56 registadas até ontem. Os casos aumentaram 1114, para 20780. Na Madeira, foram mais 1381 infeções (51544 desde o início da pandemia) e 145 mortes, mais duas nas últimas 24 horas.

Segundo a DGS, há 384568 casos ativos de covid-19 em Portugal, contados os 28091 registados nas últimas 24 horas, período no qual 28301 pessoas foram consideradas curadas do vírus da SARS-CoV-2. O número de pessoas em vigilância ascende a 31737.

Foto: EPA/GIUSEPPE LAMI

Fonte
JN.PT
Mostrar mais

Artigos relacionados