Mundo

Putin anuncia início de “operação militar especial”. Ucrânia impõe lei marcial no país

Longas filas de automóveis nos postos de abastecimentos de combustíveis e para levantar dinheiro, em Kiev, capital da Ucrânia

  • Exército russo confirma início de bombardeamentos

    O exército russo confirmou hoje o início do bombardeamento de território da Ucrânia, mas garantiu que os ataques têm apenas como alvo bases aéreas ucranianas e outras áreas militares, não zonas povoadas.

    Num comunicado citado pela agência noticiosa estatal russa TASS, o ministério russo da Defesa disse que está a usar “armas de alta precisão” para inutilizar a “infraestrutura militar, instalações de defesa aérea, aeródromos militares e aviação das Forças Armadas da Ucrânia”.

    Segundo agências noticiosas russas, foram cancelados todos os voos com destino ou com partida dos aeroportos de Rostov-sur-le-Don, Krasnodar, Sotchi e Anapa, todos situados no sul da Rússia, junto à fronteira com a Ucrânia ou junto ao Mar Negro.

    Vladimir Putin justificou a operação militar, alegando que se destina a proteger civis de etnia russa em Donetsk e Lugansk, cuja independência ele reconheceu na segunda-feira.

    “Tomei a decisão de iniciar uma operação militar especial”, declarou Putin numa mensagem de surpresa transmitida pouco antes das 03:00 da manhã.

    Na mensagem, o presidente russo pediu aos militares ucranianos que “deponham as armas”, prometendo que poderão deixar com segurança a zona de combate se o fizerem.

    Qualquer tentativa por parte de outros países de interferir na operação militar levará a “consequências que eles nunca viram”, avisou o líder russo.

    De acordo com a agência Reuters, Putin também já fez saber que os embates entre as forças ucranianas e russas “são inevitáveis” e apenas “uma questão de tempo”.

    Zelensky declara lei marcial na Ucrânia

    Zelensky impôs a lei marcial em todo o território e apelou aos ucranianos para evitarem “o pânico” e confiar na capacidade do exército da Ucrânia para defender o país.

    Entretanto a Ucrânia anunciou também o encerramento do espaço aéreo ucraniano para a aviação civil. Num comunicado, o ministério ucraniano das Infraestruturas justificou a decisão invocando “um elevado risco para a segurança” da aviação civil.

  • Que zonas da Ucrânia é que foram atacadas pela Rússia?

    De acordo com os relatos veiculados pelas Reuters, as tropas russas terão atacado bases militares. Nos media e nas redes sociais denuncia-se também um ataque ao aeroporto Ivano-Frankivsk, localizado na capital. Há a circular nas redes sociais imagens deste último local a ser bombardeado.

    Há relatos de ataques nos centros de comando militar de Kiev e Kharkiv, no nordeste do país, que foram bombardeados, enquanto as tropas russas desembarcaram nas cidades portuárias do sul de Odessa e Mariupol.

    Segundo o Kyiv Post, uma publicação ucraniana, que cita um comunicado do Ministério da Defesa russo, “a infraestrutura militar nas bases aéreas do exército ucraniano ficou fora de ação”,tendo os sistemas de defesa aérea de Kiev sido “eliminados”.

     

  • há 14 minutos
    Longas filas de automóveis nos postos de abastecimentos de combustíveis e para levantar dinheiro, em Kiev, capital da Ucrânia

    GENYA SAVILOV / AFP

    GENYA SAVILOV / AFP

    Daniel LEAL / AFP

    Daniel LEAL / AFP

  •  

Fonte
SAPO24.PT
Mostrar mais

Artigos relacionados