Mundo

Por onde andam os oligarcas russos? O adolescente que rastreou o jato de Elon Musk pode ter a resposta

O adolescente que publicava no Twitter a localização dos jatos privados de várias personalidades famosas como Elon Musk, tem uma nova conta na qual segue os movimentos aéreos dos bilionários e magnatas russos que foram alvo de sanções económicas em consequência da invasão russa à Ucrânia

Jack Sweeney, o adolescente que foi tópico de conversa por ter monitorizado os movimentos do jato privado de Elon Musk no Twitter, tem um novo alvo: oligarcas e magnatas russos. A nova conta foi criada no seguimento de vários pedidos dos seus seguidores que estão especialmente interessados nos movimentos das personalidades russas agora que se viram impactadas pelas muitas sanções económicas que lhes foram dirigidas.

O jovem de 19 anos disse ao Wall Street Journal que várias pessoas já lhe tinham pedido, mesmo antes do início da guerra, para criar contas como esta e, com a invasão russa e as consequentes sanções, os pedidos terão aumentado.

Sweeny, um estudante na Universidade de Central Florida, em Orlando, e entusiasta da aviação, ficou famoso pela conta de Twitter que criou em Junho de 2020, na qual segue o jato privado do chefe executivo da Tesla e fundador da SpaceX. Não é primeira vez que o jovem Sweeny está nos holofotes: em janeiro Musk pediu ao jovem que encerrasse a conta com a promessa de, em troca, lhe oferecer cerca de 45 mil euros, o que Sweeny recusou. Hoje o estudante universitário volta às manchetes por ter criado duas contas: uma na qual segue várias personalidades ricas russas e outro no qual monitoriza o próprio Putin.

Uma das contas, @RuOligarchJets, dedicada a seguir os jatos de, pelo menos, 21 oligarcas russos, já conta com quase 337 mil seguidores. Entre as várias personalidades russas encontra-se o dono do clube de futebol Chelsea, Roman Abramovich, o bilionário Alexander Abramov e Vladimir Potanin, um dos homens mais ricos da Rússia.

De acordo com a página de Sweeny, todos parecem manter movimentações muito frequentes, apesar das sanções que lhes foram dirigidas. Abramovich, por exemplo, já aterrou em vários destinos como Moscovo, Baku, São Critovão e Neves e Dubai desde que a conta foi criada no fim de semana de 26 e 27 de fevereiro. Abramov, por sua vez, já terá estado em Londres, Seychelles, Antígua e Barbuda e Abu Dhabi.

Além dos locais de onde partem e onde aterram, a página de Twitter de Sweeny permite ainda determinar a quantidade de combustível necessária para a viagem e o seu custo. Um exemplo seria o jato LX-RAY de Abramovich, que segundo a conta @RuOligarchJets terá, a 28 de fevereiro, realizado uma viagem de 2 horas e 27 minutos desde Luxemburgo até Baku, o que terá gasto uma média de 3,767 kg de combustível a um total de 5.757 euros com uma emissão de 13 toneladas de CO2.

“Tenho a certeza de que algumas pessoas tentarão expulsar alguns destes oligarcas dos EUA ou dos seus países quando descobrirem que estão aqui”, disse Sweeney em resposta à Euronews Next. “Eu não espero ter muitos problemas, já que estou aqui nos EUA”, acrescentou.

Howard Stoffer, professor de assuntos internacionais na Universidade de New Haven e especialista na Rússia, disse à NBC que os oligarcas seguidos por Sweenwy “são as celebridades da Rússia”, acrescentando que “deveriam ser expostos e deveriam pagar qualquer preço que um país pudesse extrair deles”. O professor apelou a que se “verifiquem os números (dos aviões)” e se “diga aos governos que estas são as pessoas, é aqui que estão localizadas, deixando-os tomar as medidas que acharem apropriadas”.

A atenção redobrada sobre estas personalidade vem no seguimento da recente invasão da Rússia à Ucrânia que resultou num conjunto de sanções económicas por parte da comunidade internacional dirigidas, não apenas ao país, mas também a muitos destes oligarcas russos.

Putin é igualmente seguido por Sweeney numa conta que se dedica exclusivamente aos seus movimentos: @PutinJet. Apesar ser capaz de seguir alguns dos jatos do presidente, o jovem de 19 anos não deixou de sublinhar que a conta pode não ser “muito precisa”, até porque “há uma dúzia de aviões VIP russos e a cobertura ADS-B (Transmissão de Vigilância Automática Dependente) não é boa na Rússia”. A página dedicada a Vladimir Putin já conta com mais de 80 mil seguidores.

Em resposta à Bloomberg, Sweeney comentou também, os aviões “absolutamente loucos” dos oligarcas. “Os seus aviões são enormes em comparação com outros jatos”, disse. No total, ambas as contas monitorizam mais de 40 aviões e helicópteros ligados a vários oligarcas russos.

Além destas contas, Sweeny já tinha criado outros bots para seguirem as viagens de personalidades como o cantor Drake e o cofundador da Microsoft, Bill Gates.

FONTE Rita Matos

Fonte
VISAOSAPO.PT
Mostrar mais

Artigos relacionados