Nacional

Novo recorde de casos de covid em Portugal. Há quase mil doentes internados

O boletim epidemiológico da DGS de hoje revela mais 2101 infeções pelo novo coronavírus e 11 mortos. Refere ainda que estão hospitalizadas 993 ​​​​​​pessoas (mais 36 do que ontem), 139 destas nos cuidados intensivos (mais quatro).

m Portugal, nas últimas 24 horas, morreram mais 11 pessoas vítimas da pandemia de covid-19 e foram confirmados mais 2 101 casos de infeção (um crescimento de 2,3% em relação ao dia anterior). Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta quinta-feira (15 de outubro), no total, desde que a pandemia começou, registaram-se 93 294 infetados, 55 081 recuperados (mais 588)​ e 2 128 vítimas mortais no país.

Neste momento, há 36 085 doentes portugueses ativos a ser acompanhados pelas autoridades de saúde, mais 1 502 do​​​​​​ que ontem.

A maioria dos infetados das últimas 24 horas localiza-se na região do norte (mais 1 146 – 54,5% do total) e em Lisboa e Vale do Tejo (733 – 34,9%). Seguem-se o centro (mais 163), o Alentejo (40), o Algarve (13), a Madeira (cinco) e os Açores (um).

Portugal ultrapassou, pela primeira vez, a barreira dos dois mil casos diários de infeção pelo novo coronavírus nesta quarta-feira, depois de estar há sete dias consecutivos a notificar mais de mil infeções por dia. O agravamento da situação epidemiológica veio acompanhado por um alerta da ministra da Saúde, Marta Temido, que, em conferência de imprensa, admitiu a possibilidade do país atingir “três mil casos [diários] dentro de alguns dias, se não tivermos a cautela necessária”.

Mais 36 pessoas hospitalizadas

Estão internados 993 doentes, ou seja, mais 36 do que no dia anterior. Este é o valor mais elevado de ocupação hospitalar desde 27 de abril, quando se encontravam hospitalizadas 995 pessoas por causa da covid-19.

Já nos cuidados intensivos há agora 139 pessoas – mais quatro que na véspera.

O boletim da DGS de hoje indica ainda que as autoridades de saúde estão a vigiar 51 601 contactos de pessoas infetadas (mais 1 057 do que ontem).

8 dos 11 mortos tinham mais de 80 anos

Os 11 óbitos registados nas últimas 24 horas distribuem-se por Lisboa e Vale do Tejo (sete), pelo norte (dois) e pelo centro (dois).

As vítimas mortais são cinco homens e seis mulheres. Entre estas, havia oito pessoas com mais de 80 anos, uma entre os 70 e os 79, uma entre os 50 e os 59 e outro entre os 40 e os 49.

A taxa de letalidade global do país é hoje de 2,28%, subindo aos 12,4% no caso das pessoas com mais de 70 anos – as principais vítimas mortais.

País em estado de calamidade. Governo quer app de rastreio e máscara na rua como obrigatórias

Por causa do aumento de casos, o Governo reforçou as medidas de combate à pandemia de covid-19. Depois de uma reunião do Conselho de Ministros, esta quarta-feira, ficou a saber-se que Portugal passa a estado de calamidade.

O executivo vai também apresentar no Parlamento uma proposta para que se torne obrigatório o uso de máscara nas ruas, anunciou o primeiro-ministro. Em caso de desobediência, o Governo sugere uma multa de até dez mil euros.

Além disso, a aplicação StayAwayCovid será de uso obrigatório nalgumas circunstâncias, nomeadamente entre as forças de segurança, forças armadas, em escolas e em ambiente laboral. E há novas restrições no que diz respeito a ajuntamentos: o número de participantes nos eventos de natureza familiar, como casamentos ou batizados, terão de ter uma lotação máxima de 50 participantes e estão proibidos festejos académicos (por exemplo, praxes de receção aos novos estudantes universitários). Os ajuntamentos na rua não poderão ter mais de cinco pessoas.

Já esta manhã, António Costa, questionado pelos jornalistas em Bruxelas, sobre a acusação destas medidas serem autoritárias, disse “temos de estancar isto agora”. O primeiro-ministro voltou a apelar ao bom senso, lembrando que muitas pessoas até já usam máscara na rua.

38,8 milhões de casos em todo o mundo

O novo coronavírus já infetou mais de 38,8 milhões de pessoas no mundo inteiro até esta quinta-feira e provocou 1 097 709 mortes, segundo dados oficiais. Há agora 29,1 milhões de recuperados.

No total, os Estados Unidos da América são o país com a maior concentração de casos (8 150 383) e de mortes (221 850). Em relação ao número de infetados acumulados no mundo, seguem-se a Índia (7 309 164), o Brasil (5 141 498) e a Rússia (1 354 163). Portugal surge em 47.º lugar nesta tabela.

Quanto aos óbitos, depois dos Estados Unidos, o Brasil é a nação com mais mortes declaradas (151 779), seguidos da Índia (111 337) e do México (84 898).

 

Mostrar mais

Artigos relacionados