Desporto

Jonas continua a ser um tabu no Benfica

O treinador dos benfiquistas, na antecipação ao jogo com o Fenerbahçe, não quis falar de qualquer questão em torno do avançado brasileiro.

O treinador do Benfica limitou-se nesta segunda-feira a dizer que Jonas não será convocado para o jogo da primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões em futebol, diante do Fenerbahçe, sem esclarecer se continuará no clube.

Rui Vitória recusou-se a dar grande ênfase aos rumores que dão como certa a saída do avançado brasileiro dos “encarnados”, mas não foi conclusivo na justificação, sublinhando apenas que o jogador “não reúne as condições” necessárias para o primeiro desafio oficial da época.

“Jonas não vai estar amanhã [terça-feira]. Não reúne as condições que eu entendi para estar convocado. Perante o contexto não reúne essas condições e, mais do que isso, é um jogador que está connosco. Não está convocado para este jogo e para o próximo jogo logo se verá”, disse o treinador, em conferência de imprensa.

Na terça-feira, o Benfica recebe a equipa turca no Estádio da Luz, às 20h, na primeira mão da terceira pré-eliminatória da Champions, com o segundo desafio a realizar-se no próximo dia 14, às, 19h, em Istambul, na Turquia.

Sobre o adversário, Rui Vitória deixou elogios e alertas. “Vamos encontrar uma equipa com qualidade, bem organizada e que vai criar algumas situações para as quais já nos preparámos”.

Com jogadores experientes e conhecidos do panorama internacional, como Kameni, Martin Skrtel, Mauricio Isla, Mathieu Valbuena, André Ayew ou Roberto Soldado e uma média de idades a rondar os 27 anos, Rui Vitória definiu o tipo de jogo dos vice-campeões turcos.

“Jogam com uma linha de quatro [jogadores], mais outra linha de quatro e dois jogadores na frente. É uma equipa que gosta de circular a bola, tem uma faixa etária muito interessante para esta competição e tem feito uma boa pré-temporada”, resumiu.

Por isso, ao seu grupo de jogadores apelou a alguma agressividade e há necessidade de controlarem os atletas mais perigosos do lado adversário.

“Da nossa parte ambicionamos começar bem em casa a ganhar. Queremos ter uma circulação fluida da bola, agressividade no bom sentido e sempre a controlar os jogadores mais influentes do Fenerbahçe. Estamos muito confiantes”, declarou.

Quanto a uma eventual pressão que possa existir, Rui Vitória mostrou-se satisfeito por poder jogar com vista a conquistar títulos, lembrando que já sabia de antemão que o calendário de jogos em Agosto poderia ser exigente.

“Já sabíamos o que nos esperava e não há que fazer drama. Preparámo-nos na pré-temporada, há uma densidade de jogos, mas encaramos com muita convicção e muita crença. Não há mais pressão, nem menos pressão, e eu gosto da pressão positiva, pois há alguma coisa para conquistar. Nunca entramos no jogo a pensar que já está ganho. Há uma pressão constante”, argumentou.

FONTE PUBLICO.PT/LUSA

FOTO LUSA/ANTONIO COTRIM

Fonte da Notícia
PUBLICO.PT
Mostrar mais

Artigos relacionados