Saúde

Covid-19: Graça Freitas prefere “jogar pelo seguro” e “esperar mais uns dias” para deixar cair as máscaras

A diretora geral da saúde, Graça Freitas, considera que ainda não está na altura de dispensar o uso de máscara em espaços fechados, sublinhando que é preferível “jogar pelo seguro” e “esperar mais uns dias” antes de deixar cair a obrigação.

Em declarações à ‘Renascença’, a responsável diz que tomar esta decisão “é o mais seguro e nós aqui temos que jogar com segurança e não perder nada do que já foi adquirido. É mais seguro esperar mais uns dias”, sublinha.

Apesar de não ariscar avançar com uma data,  Graça Freitas refere a máscara pode deixar de ser obrigatória dentro de alguns dias, isto se a mortalidade mantiver a tendência decrescente, como tem acontecido.

Para já e sobretudo em tempos de Páscoa, a regra mantém-se. “É boa medida de saúde pública e individual, ainda mantermos algumas restrições e, nomeadamente, mais um esforço, mais um pequeno esforço, para continuar a usar a máscara e alguma distância social nestes convívios”, afirma.

Segundo a responsável, neste tempo celebração e de maior convívio “vamos estar com várias gerações e os mais velhos, os mais vulneráveis, os mais doentes, têm que ser protegidos pelos mais novos”, adianta referindo que na Páscoa “vamos continuar a usar máscara, distanciamento social e (optar por) menos aglomerados”.

Recorde-se que o Governo prolongou a situação de alerta da Covid-19 até 18 de abril de 2022, mantendo as medidas em vigor, que pode recordar aqui. Ainda assim, segundo os últimos dados e de acordo com especialistas, é provável que haja nova prorrogação, pelo menos até depois da Páscoa.

Fonte
SAPO24.PT
Mostrar mais

Artigos relacionados